Proposta de acabar o 13º salário faz Bolsonaro crescer nas pesquisas? Quem acredita nisso? Leia e compartilhe...

03/10/2018 03:41

Foto: Wilson Dias / Agência Brasil
Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

Não há qualquer racionalidade em se aceitar que um candidato a presidente de um país ameace cortar salários dos trabalhadores e, com isso, cresça na preferência do eleitorado 

Bolsonaro | Na semana passada, em palestra para grandes empresários no RS, o general Hamilton Mourão, vice do 'mito', antecipou que um governo do capitão reformado do exército acabará com o 13º salário e o abono de férias dos trabalhadores. Ontem (2), em SP, Mourão confirmou tais propostas. 

Leia também:

Internautas rejeitam fim do 13º e das férias, mostra enquete! Clique, vote e compartilhe...

Ao vazar fim do 13º e do abono de férias, Mourão mostra que general é que manda em capitão! 

Estranhamente e segundo resultados de pesquisas do Ibope e Datafolha, essas duas ideias fizeram o chamado 'coiso' subir na preferência do eleitorado e Fernando Haddad crescer em rejeição. Dá para acreditar numa coisa dessas? Será que parte dos trabalhadores brasileiros enlouqueceu? (Continua, após o anúncio).

Ibope e Datafolha manipulados

A não ser que milhões de brasileiros tenham de fato enlouquecido e agora queiram perder direitos históricos como o 13º salário e abono de férias, tudo leva a crer que Ibope e Datafolha manipularam suas pesquisas para favorecer o candidato que agora é o preferido... Dos grandes empresários do Brasil e de fora deste. 

Não há qualquer racionalidade em se aceitar que um candidato a presidente de um País ameace cortar salários dos trabalhadores e, com isso, cresça na preferência do eleitorado. É coisa de louco. É forçação de barra de quem, na realidade, sabe que está mais para perder do que para ganhar essas eleições presidenciais de 2018. (Continua, após o anúncio).

Tudo leva a crer, portanto, que se não houver manipulações mais grosseiras que essas pesquisas, ou mesmo fraude no dia das eleições, Fernando Haddad será eleito no segundo turno presidente do Brasil. Os que não querem perder o 13º salário, abono de férias ou outros direitos trabalhistas devem se engajar na campanha anti 'coiso'.

Leia também: