Professores elencam razões para aposentadoria especial não acabar! Divulgue...

17/02/2019 14:26

Jornadas duplas e até triplas — combinadas com o estresse da sala de aula — provocam distúrbios físicos e psicológicos nos educadores. Imagem: depositphotos
Jornadas duplas e até triplas — combinadas com o estresse da sala de aula — provocam distúrbios físicos e psicológicos nos educadores. Imagem: depositphotos

Professores não suportarão tempo a mais de sala de aula, como o governo Bolsonaro quer. Caso reforma seja aprovada, muitos mestres viverão de licença médica ou doentes e sem energia para trabalhar

EDUCAÇÃO | Segundo a 'grande mídia' nacional tem noticiado, as regras atuais da aposentadoria especial dos professores vão acabar. Com isso, idade mínima para aposentadoria dos mestres passaria a ser 60 anos. E quatro décadas seria o tempo mínimo de contribuição à previdência para quem almejar aposentadoria integral. Mudanças estão previstas na Reforma da Previdência que o governo Bolsonaro quer aprovar ainda no primeiro semestre deste ano. Pelas regras atuais, mestres podem se aposentar bem antes dos 60 sem perder parte dos salários.

Motivos

Preocupados com os anos a mais de sala de aula que a reforma de Bolsonaro que impor, professores de todo o país começam a se mobilizar para evitar que isto aconteça. Um grupo de 146 mestres elencou alguns bons motivos que justificam a aposentadoria especial a que hoje os educadores têm direito. Leia e divulgue, caso concorde com as ideias!

  • O exercício da sala de aula é muito desgastante. A partir de 10 anos em atividade, muito mestres apresentam sérios distúrbios físicos e mentais, como calos nas cordas vocais, dores na coluna, problemas cardíacos, irritabilidade e depressão.
  • Os salários pagos aos educadores — nas redes pública e privada — são muito baixos. Isto os obriga a cumprir dupla e até tripla jornada de trabalho, para obter uma renda melhor. E os torna mais vulneráveis ainda a desenvolver doenças. Continua, após o anúncio.
  • O ambiente de trabalho, sobretudo na rede pública, no geral é muito ruim. Salas superlotadas e sem ventilação é a rotina do dia a dia. Estes dois fatores também contribuem para atacar a saúde dos educadores.
  • Caso sejam ampliados tempo de sala de aula e de contribuição, professores não conseguirão desempenhar suas tarefas diárias — no período a ser acrescido — com a eficiência que a profissão exige. Portanto, é um erro mudar as regras atuais. Muitos profissionais médicos fazem alerta sobre isso.

Fonte: Dever de Classe

Se gostou, compartilhe e curta nossa página, para receba novas informações sobre este e outros temas!

Leia mais:

Economia | Abaixo, modelo para requerimento de microfilmagem do PASEP para fins de solicitação na justiça de correção de valor sacado nesse Programa dos servidores públicos da União, estados e municípios. Após solicitação junto a qualquer agência do Banco do Brasil, o documento é entregue num prazo máximo de 30 dias. Salve como imagem em...