Polêmica? Se Capitu traiu Bentinho, foi porque ele mereceu!

12/06/2018 10:37

Imagem meramente ilustrativa / Arquivo webnode
Imagem meramente ilustrativa / Arquivo webnode

"Bentinho sufocava a Capitu, mereceu ser traído"

LIVROS | Por *Ana Vasconcelos. Hoje, no "Dia dos Namorados", lembrei do famoso caso da Capitu, aquela personagem do Machado de Assis acusada há mais de cem anos de ter botado umas pontas no seu marido, o briguento Bentinho. Lembrei disso porque quando se fala em namorados, sempre é recorrente o tema da traição. Afinal, quem já não sentiu pelo menos a vontade de dar uma pulada de muro?

Leia também:

KANE | "Ronaldo me inspirou", diz o goleador da seleção inglesa!

ABORTO | Dia 13, estudantes argentinos saem às ruas pela legalização!

Acesse posts interessantes sobre comportamento, educação, cultura, política...

Pois bem. Lembro que no antigo segundo grau, um professor abordou esse livro que fala da Capitu e do Bentinho, que eu já conhecia de nome quando fiz o ginásio. Na época, fiquei foi chateada, porque o professor, machista, me deu nota baixa no trabalho porque, segundo ele, me equivoquei ao defender que a Capitu era inocente, e não culpada, como ele tentou induzir a turma a acreditar. Também não li nem entendi direito a história e deixei para lá.

Passou um tempo e li novamente sobre a Capitu na Revista Super Interessante. Vi lá que o Bentinho era doente de ciúme, inventava coisas, pegava no pé da Capitu, dizia que ela tinha um caso com Escobar, amigo dela e do marido. Tinha ciúmes até da sombra da esposa.

Descobri que o Bentinho era tão ciumento que imaginava até que o filho dele com a Capitu, de nome Ezequiel, se não me falha a memória, era na verdade filho de Escobar. E pensava isso apenas porque o menino era a cara do amigo e não do pai. Veja a que ponto chegava o ciúme sem cabimento do Bentinho (Risos). (Continua, após o anúncio).

O fato é que, depois de compreender melhor a história, mudei de ideia em relação a Capitu, porque entendi o drama que ela viveu. Também já tive namorados doentes de ciúmes, que me sufocavam injustamente, me davam homens, duvidavam da minha fidelidade. Era um inferno. 

Quando ficava demais, eu traía mesmo, só para o rapaz sair do meu pé. Diferente da Capitu, no meu caso, quando estourava a paciência, eu não deixava margens para dúvidas. Por isso, se a Capitu traiu mesmo o Bentinho, foi porque ele mereceu.

*Ana Vasconcelos é artista plástica

Mais recentes sobre este tema:

Você também pode gostar de: