Nova pesquisa CNT/DMA mostra empate técnico e aliados de Bolsonaro ameaçam debandar! Leia e compartilhe...

30/09/2018 09:03

#EleNão: mulheres saem às ruas em todo o País contra a candidatura Jair Bolsonaro / Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
#EleNão: mulheres saem às ruas em todo o País contra a candidatura Jair Bolsonaro / Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Disparada do candidato de Lula faz com que muitos apoiadores independentes de Bolsonaro comecem a ensaiar uma debandada da candidatura do 'mito', segundo bastidores de Brasília

Bolsonaro | Nova pesquisa CNT/DMA divulgada hoje (30) aponta empate técnico entre Jair Bolsonaro (PSC) e Fernando Haddad (PT). No primeiro turno, o 'mito' aparece com 28,2% e o petista com 25,2%. Na margem de erro, Haddad pode estar inclusive à frente do seu adversário. No segundo turno, Haddad tem 42,7%, contra 37,3% do capitão reformado do Exército. (Continua, após o anúncio).

Debandada

Disparada do candidato de Lula faz com que muitos apoiadores independentes de Bolsonaro comecem a ensaiar uma debandada da candidatura do 'mito'. Segundo bastidores de Brasília, políticos do MDB, PP e outros que não seguiram as candidaturas de Alckmin ou Henrique Meirelles e optaram por Bolsonaro num primeiro momento, agora, diante do fracasso iminente de Bolsonaro, podem ir bater inclusive nas hostes petistas.

Já era esperado

Analistas políticos de todo o País dizem que esse fenômeno de abandono da candidatura de Bolsonaro já era esperado. A política no Brasil, dizem os especialistas, é marcada por muito fisiologismo, pelo toma lá da cá. "Com o declínio nas pesquisas, em particular no segundo turno, onde perde para Haddad , é natural que muitos abandonem o capitão, pois só estavam com o presidenciável porque viam nele uma possibilidade de vitória e benesses num provável governo. Conforme isso vai se desmanchando, muitos abandonam o barco", diz o sociólogo Afrânio Mesquita. (Continua, após o anúncio).

Mais rejeitado

A provável derrota de Bolsonaro nessas eleições e o abandono que sua candidatura já passa a sofrer é resultado da fortíssima rejeição que o capitão reformado tem em todo o Brasil. O movimento #EleNão — que conta com milhões de mulheres — e os gigantescos atos ocorridos ontem (29) de norte a sul do País contra a candidatura do 'mito' são prova disso. A tendência, segundo analistas, é que Bolsonaro termine o primeiro turno já atrás de Haddad.

Leia também: