Governo chama paralisação nacional dos professores para dia 02 de agosto! Saiba mais e compartilhe...

31/05/2018 15:00

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Governo Temer quer que apenas em um dia professores de todo o País analisem e aprovem documentos de mais de 600 páginas que preveem o fim de quase todas as disciplinas da grade curricular do Ensino Médio. É um golpe na educação, alertam especialistas

EDUCAÇÃO | Postagem publicada no site do MEC (24.07), diz: "Dois de agosto foi a data escolhida pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) para promover um Dia D de discussão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o ensino médio. Mais de 28 mil escolas públicas e particulares de todo o país estão sendo convidadas a participar, envolvendo 509 mil professores na avaliação da proposta da Base, que está em análise pelo Conselho Nacional de Educação (CNE). A iniciativa é promovida pelo Consed, com apoio do Ministério da Educação." (Vote na enquete ao final da matéria).

Armadilha

Na verdade, a proposta de dispensar as aulas em mais de 28 mil escolas públicas e privadas de todo o País em um único dia tem como objetivo induzir a opinião pública a acreditar que os educadores irão para dentro das escolas discutir e aprovar uma Reforma do Ensino Médio que, na prática, corta quase todas as disciplinas da grade curricular. Os documentos que o governo golpista de Michel Temer (MDB) anuncia que os docentes vão analisar em um ou dois turnos de trabalho têm mais de 600 páginas. Algo meio difícil, não?

Obrigatórias 

Pelo que está no texto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) elaborada pelos golpistas, apenas Português e Matemática serão obrigatórias. Todas as demais matérias simplesmente desaparecem e a Educação de Jovens e Adultos passa a ser 100% à distância. Segundo análise de vários educadores, isto será péssimo para a formação de nossos estudantes. César Callegari, um dos maiores especialistas em educação no País e ex-relator da comissão de formação de professores do Conselho Nacional de Educação (CNE), alerta: "As repercussões negativas na vida do jovem serão muitas com esse currículo apequenado, reducionista dos direitos do jovem brasileiro." (Continua, após o anúncio).

Segundo o Censo Escolar (2016), o Brasil tem 2 milhões de professores na Educação Básica, a maioria atuando no setor público. Caso a BNCC e a Reforma do Ensino Médio entrem em vigor, a expectativa é que haja desemprego em massa de professores, devido ao fim da obrigatoriedade de quase todas as disciplinas.

Dê sua opinião na enquete abaixo:

Compartilhe com seus amigos e curta nossa página, para receber atualizações sobre este e outros temas!

Leia também: