SALA DE AULA |10 coisas que todo professor deve saber!

11/06/2018 09:25

Imagem: depositphotos
Imagem: depositphotos

Algo básico, mas que ajuda muito na relação com os alunos

SALA DE AULA | Antes de entrar numa sala de aula, todo professor deve se conscientizar de algumas questões básicas e simples, mas que são essenciais para o bom desempenho da profissão, e ajuda muito a diminuir as dores de cabeça com o alunado. Quem está no dia-a-dia das escolas, certamente se identificará com muito do que está exposto abaixo.

LEIA TAMBÉM:

As mais variadas notícias sobre educação, cultura, saúde & cia

Criado fundo de US$ 3 bi para educação de mulheres!

Sabia? Sinfonia de Beteethovem pode matar células tumorais!

ALERTA | Cuidado com alimentos que adoecem e podem até matar!

Veja:

1. Prepare-se! Esta é a regra número um da docência. Um professor jamais deve entrar numa sala de aula no mesmo nível dos seus alunos. Embora o mestre não seja superior a quem vai ensinar, precisa compreender que é tarefa sua mostrar que tem um domínio sobre o que vai expor. Alunos podem tolerar tudo de um docente. Mas se chegam à conclusão que o mestre é inseguro, aí fica difícil para o professor segurar a atenção dos mesmos.

2. Seja humilde! Domine o assunto que vai ensinar, mas não tenha receio de reconhecer perante os alunos que você não sabe tudo sobre o tema. Explique com calma que você é um professor. E não um Deus. E prometa (e cumpra) que se determinado aspecto da matéria ficar sem explicação em uma aula, numa seguinte você buscará esclarecer a questão.

3. Seja firme! Ser humilde não é ser submisso. Ao adentrar a sala de aula, eleve sua autoestima e encare todos os conflitos que surgirem com os alunos de maneira serena. Mas jamais com demonstração de medo ou tolerância a desrespeito. Alunos sempre admiram professores que sabem ouvir, mas que também sabem impostar a voz quando necessário.

4. Não seja rigoroso demais! Professores muito rígidos e fechados geralmente não têm a simpatia dos alunos. É importante saber ser flexível em determinadas situações. Se, por exemplo, a maior parte dos alunos não conseguiu entregar um trabalho na data marcada, dê novo prazo, demonstre que entendeu as alegações dos mesmos e que o mais importante é que o trabalho seja feito com dedicação. Lembre-se que é preciso exigir disciplina, mas não esqueça também que os alunos estão numa escola, e não num quartel.

5. Não seja permissivo em excesso! Assim como o rigor demais atrapalha, a permissividade extrema inviabiliza o bom andamento na sala de aula. É importante entender e fazer os alunos entenderem que se, por um lado, o ambiente escolar não é um quartel, por outro, também não é um permanente baile de carnaval.

6. Não falte demais! É muito importante esforçar-se para manter uma boa assiduidade durante o período letivo. "Professor-turista" no geral é mal visto pelos alunos e pelos demais no ambiente escolar.

7. Não seja assíduo ao extremo! O oposto do "professor-turista" é aquele que passa o ano todo sem faltar um dia sequer. Também não é bom, pois às vezes sufoca os alunos. De vez em quando — ainda que esteja na escola — é recomendável dispensar a aula. Cria um clima agradável na hora e uma expectativa boa para o depois. Os alunos querem saber: por que o professor faltou?

8. Cumpra com sua palavra! Uma das coisas que mais irrita os alunos é o professor dizer que fará uma coisa em determinada data e não cumprir. Se prometeu entregar o resultado da prova dia tal, esforce-se para cumprir. Se avalia que não pode fazer, não prometa. Não crie fama de "professor enrolão". 

9. Demonstre cultura! Professores continuam a ser uma espécie de espelhos para seus alunos. Por isso, é importante demonstrar que você conhece um pouco além do que ensina. Nada impede um professor de matemática, por exemplo, de falar de música ou outra arte qualquer. Assim também como é importante um professor de artes falar de determinada ciência.

10. Por fim, lute em defesa em de seus direitos! Essa é talvez a maior obrigação de todo bom professor. Se sua categoria decidiu de forma democrática aderir a uma greve por melhores salários e condições de trabalho, entre também de forma responsável nessa luta. Por mais que seja algo difícil, trata-se de uma questão de sobrevivência e, não tenha dúvida, ajuda também os alunos a entenderem que a vida é dos que ousam sonhar e lutar.

Leia também:

Leia mais: